Publicado em BEDA, minimalismo, Reto de los 100 dias

Beda #16 + Reto de los 100 días #16

pedras equilibrio

Não sei se já contei aqui, antes de vir pra Espanha, quando ainda estava no Brasil eu já me interessava pelo minimalismo. Eu vinculava o minimalismo a organização, ou a facilidade de manter as coisas organizadas e controladas. Me preocupava o comprar, comprar e comprar. Buscava a compra consciente, mesmo que muitas vezes não fazia.

Nunca fui de comprar roupas, comprava somente quando precisava, porém sempre comprava livros, mais do que era capaz de ler. Raramente comprava objetos de decoração, somente quando fiz a obra no apartamento e ai coloquei o que precisava, mas sempre tinha os armários da cozinha e a geladeira cheios, com mais comida do que comeríamos, acho que em alguma encarnação passei fome. Nunca comprava maquiagem, mas de 2 em 2 anos trocava de carro. Se converso sobre isso com um psicólogo, tenho claro que em poucos minutos ele traçaria meu perfil psicológico, jajaja.

Aqui na Espanha, sempre me preocupei em montar o apartamento e construir uma vida que fosse fácil de administrar. Poucos móveis, que infelizmente não foram os que eu queria (Ikea), porque a loja fica em La Coruña e naquele momento não podíamos ir ali, com isso, acabamos comprando aqui numa loja, que era pra ser baratinha, mas com uma qualidade razoável… Por fim, resulta que essa foi a melhor opção, pois nenhum móvel seria resistente aos caninos dentes do Rufus filhote e, melhor ter este sofá feio comido pelo Rufonildo, do que o que eu tanto queria da Ikea.

Hoje, com as mil mudanças diárias que passo com a adaptação em outro País, vi que o minimalismo também mudou para mim. Sinto falta de referências pessoais, sinto falta de memórias, sinto falta de amigos. Por isso defini um cômodo da casa, o quarto que faço de escritório e quarto de visita, para ter mais coisas. Ali tenho quadros na parede, mais livros que a estante pode permitir e algumas fotos expostas. Não há caos, porque o caos me deixa louca, má há mais informações acumuladas que em todo o resto do apartamento e, quando estou assim, mais saudosa, sento ali na poltrona e olho a vista. Respiro o ar deste quarto e me sinto em casa, uma casa qualquer, que seja a minha casa confortável e acolhedora. Outras noites preciso me refugiar e durmo ali, para recarregar energias.

O apartamento que vivo não é bonito, é velho e feio. Não está limpo, normalmente quem limpa são os homens da casa e fazem daquele jeito, que normalmente me estressa. E foi assim que descobri, o minimalismo, muito mais do que comprar ou ter menos é buscar o equilibrio. Compreender que ponto do menos é mais para você, e saber que esse ponto pode variar conforme a situação de vida que você tenha no momento. Por isso, relaxe, entenda seu momento, saiba quem é você e acima de qualquer rótulo, se valorize e se respeite.

E pra você, como surgiu o minimalismo? Como você encara o minimalismo?

Anúncios
Publicado em eu, minimalismo, Relacionamentos, Sentimentos

Dores emocionais e formas de lidar com elas.

dor-emocional

Não sei se passa com vocês, comigo há momentos em que minha confusão mental é tão grande, que a desordem da casa me incomoda mais que nunca. A psicologia explica muito bem isso. é a insatisfação com a vida pessoal, acúmulo de stress ou situações que precisamos urgentemente de uma ordem para nos sentir mais controladores dos resultados. Eu particularmente busco resultados positivos, acredito que eles estejam aqui, mas não os sinto na intensidade ou tamanho desejado e por isso me estresso muito. A mudança de País dói, depois de uma situação estável e uma série de conquistas, tenho que recomeçar tudo do zero, num lugar diferente, com idioma distinto e com dificuldades de uma região que está com a economia estagnada.

Galícia é uma região muito bonita da Espanha, mas dura, com pessoas desconfiadas, frias (também pelo clima) e com uma população que envelhece a olhos nus. As oportunidades são poucas e muito disputadas. Aqui tenho que provar a cada minuto minha capacidade por ser estrangeira, por ser mulher, por minha idade e por minha personalidade não tão amigável (ou seja lá como posso explicar). Isso tudo me cansa, me agota emocionalmente. Algumas vezes penso que o mundo não foi feito para pessoas como eu, que sentem demasiado, que se importam demasiado, que desejam demasiado, que acreditam demasiado, que esperam demasiado.

Busco o minimalismo para alcançar a leveza que não consigo ter, a simplicidade na casa, e assim olhar o horizonte doméstico com mais amplitude e menos laços rodeados como um caracol de dúvidas e incertezas. Busco o minimalismo como forma de pensar para na simplicidade sofrer menos, não sei se me faltam crenças para encarar este modelo de vida e entrar de cabeça, ou se todas a dificuldade vem por viver com pessoas desorganizadas e que não são minimalistas. Não, não os culpo por não conseguir, no geral, nunca culpo ao outro, mas sim a mim mesma, minha baixa estima não me permite acreditar que a culpa seja do outro, do meio, da sociedade, da economia… Por isso sofro, melhor dizendo, também por isso sofro.

Queria uma pessoa que me acolhesse, e me ensinasse a viver de forma menos dolorida. Uma pessoa que compreendesse o que sinto e me ajudasse a sair dessa espiral que me leva ao fundo da terra onde me queimo a cada passo que dou rumo ao centro de larvas.

Sei que amanhã ou depois estarei melhor, mas aqui, cada vez mais sinto estas dores emocionais vindo ao meu encontro. Outro dia me disseram que é muito comum, que 85% das pessoas que mudam de País sofrem com depressões e dores emocionais, não gosto de me imaginar dentro deste percentual, tenho que ser mais forte.

Boas atitudes são importantes para este momento, abaixo indico algumas que tento fazer, nem sempre são possíveis, mas quando as faço surtem um efeito muito agradável e acabo me esquecendo dessas dores emocionais.

  • ajudar pessoas que necessitam, fazer atividades voluntárias em ONGs;
  • brincar com o filho e com o cachorro, um tempo passado com eles, brincando e rolando no chão, rindo de bobagens ou simplesmente um abraço, tem um efeito reparador melhor que muitos remédios e que uma noite de sono;
  • meditar, caminhar, ouvir música, dançar, ou seja fazer atividades que envolvam a mente e o corpo, ajudam a mudar o foco e esquecer o que me incomoda, até que fico tranquila, mais relaxada;
  • ler um livro ou ver um filme;
  • escrever no blog, num caderno, numa folha de papel, seja para guardar ou queimar, o importante é escrever, essa é uma técnica que ajuda muito, desafoga as emoções e não satura o ouvido das pessoas. \\mas se você tem um super amigo de mão ou um psicólogo/analista, falar trás efeitos mais benéficos ainda;
  • fazer faxina, limpar a casa, passar roupa, organizar o exterior ajuda a organizar o interior.

O objetivo neste momento é desfocar a mente do looping que entra com o pensamento atordoante, assim a dor passa e você renova forças para seguir a vida.

Espero que estas palavras possam te ajudar de alguma forma, e se quiser compartilhar dores ou experiências, inclusive o que faz para melhorar, me conte nos comentários.

Um abraço a todos e força, todos nós podemos o que quisermos.

Publicado em Coach e Meta, eu, minimalismo, Trabalho

más un día de conquistas.

 

Bueno, ahora toca dormir, estoy muerta, super cansada. Y mañana tendré un día largo y con muchas oportunidades, tengo que sacar provecho deste día y por eso… Ahora recuperar las fuerzas.

Como sigo?

Más un día sin cigarro!

Más un día sin carne!

Más un día sin poner azucar en los cafés y zumos.

Más un día sin tomar remédios a mayores de los que ya tomo.

Más un día que cojo alguna cosa en mi casa para vender, dar o jugar a basura.

Más un día controlando mi período detox para sentirme cada día mejor.

Hay momentos que no fumar, no tomar café me hace cuesta arriba, pero estoy resistindo, por mi, por nadie más.

Publicado em Coach e Meta, minimalismo, Sentimentos

Hoy no terá video, pero terá texto y fotos.

Hola Chicos y Chicas!

Que tal?

Hoy no terá vídeo, tal como ayer. Tengo mi hijo con fiebre a casa y necesito dar atención a él. Nada que mimos de madre no curen.

Hoy estuve trabajando aquí en Santiago, pero ayer conocí a Muros, y mientras trabajaba, hice unas fotos para me recordar deste sitio precioso. Me gustó mucho el resultado de las fotos, espero que los encanteis con las fotos, así como yo. Muros esta en la provincia de La Coruña, una región de playa y tiene 10.050 habitantes (2011). En verano estará a top, o sea, muy distinto de como vemos en las fotos. Esta ciudad tiene la arquitectura típica gallega, que contrastada con el lindo día de ayer, me ayudo muchísimo para sacar estas fotos.

Si quieres conocer a Muros, no perca la fecha de 29 de junio, cuando hacen la más tradicional fiesta de la región dedicada a San Pedro, con concurso de las empanadas, mucha verbena y fuegos artificiales. Abajo unas pocas fotos hechas por mi.

Hoy, después de una charla con un amigo y unos momentos de meditación, estuve pensando y me hice unas cuantas preguntas.

  • Que me hace feliz, contenta en un trabajo?
  • Que me hace levantar de la cama todos los días, cual és mi propósito de vida (para toda la vida o solo para este momento)?
  • Que valores tengo?
  • Tengo mis metas, objetivos personales bien definidos?

No que estas preguntas me tengan sido hechas por mi amigo, no, de verdad que no. Pero de nuestra charla, me quede pensando en la vida, en mi vida y me vino estas preguntas a cabeza. No lo sé si tu tienes estas respuestas claras en tu mente, yo si, las tengo, y las tengo aliñadas con mi corazón, de mi punto de vista es importante tenerlas aliñadas para que tu estes contenta, mismo cuando el momento actual no sea tan sencillo, al tener objetivos claros y aliñados, tu tendrás más fuerza para sobrevivir a las dificultades que pasen. Por eso te indico que piense, medite, sin prisa. Conteste a estas preguntas lo más fiel a tus sentimentos, muchas veces la premera respuesta es la que vale, la real, pero la intentamos ocultar pues poden nos traer sorpresas y medos. No critique lo que penses, admita que puede haber una persona dentro de ti que queira salir a vivir y, por N factores puede estar oculta en tu día a día. Permita se viver y descobrir tus deseos, valores y verdades.

Y por fin, sabes que estas preguntas y respuestas poden te llevar a un camino minimalista? Porque? Simples, al saber lo que quieres y quien eres puedes enfocar tu vida a este camino, puede hacer lo esencial para las conquistas idealizadas. Y eso, es puro minimalismo de vida y mente. Simples y al punto, al foco.

 

Publicado em Coach e Meta, eu, minimalismo

Tem video no ar – Uma vida minimalista em 7 malas.

Olá pessoal,

Hoje resolvi fazer de forma diferente, não tenho tido tempo para escrever, sou detalhista e escrever é uma paixão, mas ao ser tão detalhista gosto de escrever e reler algumas vezes, por isso, desta vez vai em vídeo. Para ganhar tempo e seguir informando dos meus propósitos.

Espero que gostem, que curtam e que comentem, aqui ou lá, tanto faz.

Beijos para todos.

 

Publicado em eu, minimalismo, VEDA

BEDA#28 – minimalismo mental

minimalismo mental 2Percebo que muchas personas entienden el minimalismo por estilo de decoración y por comprar menos. Si, son partes del todo que és el minimalismo, pero no és solo eso. Por mi visión el minimalismo vá más lejos, como ya he dito en otro post, dejar de tener cosas  no fueron suficiente para mi, tuve que descobrir mi propósito, tuve que entender donde iba a llegar con esta reducción de objetos en mi lar.

Cuando me mudé de País, tuve que elegir las pocas cosas que pondría en mis 7 malas, pero al llegar aquí, tuve que mantener el sentimiento minimalista para tener el necesario y tuvieron momentos en que me dejé llevar por las compras. Cuando empecé a no  controlar más mi casa y los objetos que tenía en ella, vi que estaba me escapando de mi objetivo principal. Y cuál és él?

  • tener más tempo para mi família;
  • no tener el estrés del final del mes con poco dinero al banco o al monedero;
  • hacer o tener lo que me dá gusto y és necesario y no comprar para me hacer feliz;
  • no gastar tiempo con limpieza de casa y organización de cosas, cuanto más se tiene, más tiempo se gasta y el tiempo no vuelve, és peor que el dinero gasto con cosas que no nos trae benefícios;

Deste punto del minimalismo material, de objetos, percebi que otra cosa deveria ser observada en mi, mis pensamientos. Percebi que al tener muchas cosas,  no saber usar en dinero en mi beneficio eran cosas que me hacian una persona muy ansiosa y tampoco me sentia feliz con todo lo que tiña. Fue entonces que percebi que debía me conocer mejor, determinar mis prioridades y valores. Pensar y vivir no aquí y ahora, fue un paso fundamental para bajar mi ansiedad. Andar por la vida cargando pesos que no me hacia mejor ni feliz, no me compensaba para nada. Aprender a delegar, decir no, saber que necesidades tenía para el momento y cuales podrían ser dejadas para después, y bajar mis expectativas fue importante para seguir neste proceso. Hoy mi piso está lejos de ser minimalista y ordenado como lo deseo, pero al vivir con otras personas y trabajar por muchas horas, tengo que bajar mis expectativas y aceptar las diferencias de las otras personas que viven conmigo.

Muy bien, si quieres ser minimalistas en su mente, en su pensamiento, les doy unas  dicas para que podáis empezar.

  • que te gusta? que és esencial para ti? conoce te a ti mismo, para determinar su camino y lo que quiere para tu día a día, no sea una cópia de otra persona, sea tu mismo;
  • descubra lo que quiere cambiar en ti, lo que no te hace bien o feliz. ni todas las personas hacen esta auto analice, y es fundamental. Yo, ni nadie, puedremos determinar lo que és bueno o mejor para ti, solo tu mismo tiene este poder. Una vez descubierto, empece la mudanza, haga una por vez, despacio, con calma, si hoy has conseguido cambiar solo un poquito do que tenga determinado, ya está bien, mañana harás más y mejor;
  • deje de lado el negativo, deje de lado la culpa, si no fue posible hacer algo ahora, fue solo por ahora. Deje de lado las reclamaciones, a nadie le gusta una persona negativa y que no para de reclamar;
  • elimine las desculpas de tu vida, asuma la responsabilidad sobre sus elecciones. Todo en la vida son elecciones, elija la que te parece mejor y asuma las consecuencias. Caso no sea una buena elección, no tenga culpa, aprenda con ella, descubra lo que se puede hacer para que en la próxima vez tenga mejor capacidade para elegir;
  • tenga atención a tu estado emocional cuando está con algunas personas o en las redes sociales. Si te hace bien, continue, pero si notas que no, deja lo ya. Mejor se afastar de personas que llevan tu energia para bajo do que mantener una relación que no te hace bien;
  • viva el aquí y ahora, el presente és lo que más importa. Vivir en el pasado no hace mejor en tu día, el pasado és lo que te dio experiencia, pero estar siempre pensando en como fue y no és más no te lleva a nada. Lo mismo con el futuro. Haga del hoy tu mejor día,! Haciendo bien ahora, estoy segura que tu futuro será muy bueno. Viver en el pasado y en el futuro nos deja ansiosos, y de nada vale este sentimiento;
  • medite, la meditación te ayudará con todas estas dicas. Haga 5 minutos por día, después aumente para 10 minutos hasta que pueda hacer 2 a 3 veces al día. Busque la mejor meditación para ti, elija un canto de tu piso o habitación para ser el espacio donde a cada día puedas sentarse confortablemente y relajar del estrés del día. La meditación y respiración tranquila son bonísimas para control de nuestras mentes, así será más fácil destrallar los pensamientos que se acumulan en su cajón mental;
  • por fin, destrallar. No deje en su cabeza todas las cosas que tienes que hacer, tenga una libreta o agenda para liberar su mente de todas las preocupaciones. Se recordó  algo? Apunte en la libreta. Tienes un deseo, un objetivo? Apunte en la libreta. Hagas listas para compras de mercado, cosas a hacer, objetivos a conquistar. Tenga tudo a mano, no a cabeza. Deje su mente libre para hacer mejor el aquí y ahora, para hacer mejor su trabajo y tener mejores momentos en las relaciones.

Bueno, espero que estas dicas te sean útiles. Son las que uso en mi día a día para conquistar el minimalismo mental y tener más calidad de vida. Recuerde se, menos és más. Vá despacio, no se puede llegar a la tercera planta sin pasar por las otras que están abajo.

Publicado em minimalismo, VEDA

BEDA#24 – minha vida minimalista

tatu do bem

No minimalismo preservamos a qualidade e a real necessidade do que consumimos. Compreendemos o processo de produção do que compramos, ou seja, toda a cadeia que envolve a confecção dos bens que compramos (desde a plantação, extração ou produção, com etapas de logística e distribuição, consumo de energia, combustível, impostos e salários pagos ou não corretamente) e valoramos o tempo investido para ganhar dinheiro e aplicar em coisas que não são de elevada importância para nós. Sim, temos que nos conhecer e saber o que queremos e valoramos para viver o minimalismo sem sofrimento. Para mim, a grande ideia do minimalismo é não sofrer. Não sofrer porque me falta tempo pois assumo muitas tarefas e não posso delegar funções e tampouco consigo fazer tudo o que me cabe. Não sofrer por não ter algo, ou por ter em excesso, ou ainda por ter o que não quero e não ter o que quero. Sofremos demais, e me parece que isso se passa porque não sabemos quem somos e o que queremos.

Hoje, cada vez mais, busco o simples, principalmente com meus sentimentos e a comunicação. Não me fixei nos caminhos minimalistas da decoração ou do armário cápsula com 33 peças de roupa, não me limitei a ter somente 100 objetos. Mas em contrapartida, sempre que me sobra tempo, olho meus pertences e o que pouco uso, ou o que não me agrada muitíssimo, faço seguir caminho em outro lar, levo para doação. Com as palavras e os pensamentos estou no mesmo caminho, quero reduzir ao necessário. Sou considerada uma boa ouvinte, uma pessoa que escuta com atenção e que observa muito. Agora quero melhorar minha comunicação. É verdade que presto muita atenção e escuto com carinho, porém quando começo a falar ou escrever, não paro. Me comunico bem, porém quero reduzir, ser mais direta e efetiva em minha comunicação. Ao trabalhar como comercial, tenho pouco tempo para envolver e conquistar o cliente e, para atingir os resultados que a empresa me coloca tenho que me esforçar muito para ser o mais eficaz no contato com os clientes. Isso me faz ser mais assertiva, ir direto ao ponto e ao seguir com um pensamento simples. Percebi que estar focada, presente no aqui, no agora, sou mais feliz, agradecida e não sofro por antecipação e assim controlo melhor a minha ansiedade.

Assim, fazendo uma coisa por vez, me vi executando tarefas com mais qualidade e tendo um volume maior de atividades executadas ao longo do dia. Ao me conhecer melhor, saber o que busco, o que quero, assumo o minimalismo sem sofrimento e gradualmente noto minhas conquistas.

Assim:

  • não perco tempo com pensamentos negativos;
  • não perco tempo com disputas y guerras contra pessoas que não valorem o que eu valoro;
  • não mantenho guardado o que não uso há 7 ou 12 meses, ou o que esteja quebrado e/ou não me sirva mais;
  • não gasto tempo sofrendo pelo que não posso fazer ou arrumar na hora;
  • não gasto tempo, aproveito meu tempo, afinal ele é muito valioso;
  • não gasto dinheiro com o que não me agrega valor, ou de verdade necessito;
  • não sofro por antecipação;
  • aprendi a dizer não;
  • aprendi a dizer sim;
  • aprendi a valorar as coisas, pessoas e situações;
  • aprendi a avaliar as prioridades;
  • aprendi a viver;
  • aprendi a me respeitar;
  • aprendi a me amar, assim como sou.