Qual o seu norte?

bussola

Minha concentração estava fora de foco, tal como meu olho. Não conseguia focar em nada do que via. Naquele momento sentia a necessidade de me liberar de toda a dor física que me prendia a este corpo e por isso corri. Corri o mais rápido que pude. Gritei, a dor era insuportável. Busquei forças, no desejo de liberdade, e corri mais rápido. A dor aumentou, a cada passada a dor era pior. Insisti, corri. Insisti, gritei. Persisti, corri. E a dor, cansada de lutar, deixou meu corpo. Ficou jogada pelo caminho. E me tornei livre!

Por primeira vez em muitos anos, percebo a leveza da vida sem dor. Reduzo a velocidade e caminho. Caminho observando a paisagem. Sinto o cheiro do ar, inspiro profundamente e noto o cheiro do orvalho que ainda resiste ao sol que marca o inicio de mais um dia. Hoje será um dia de muito sol, percebo sua força. Força de vida.

Encontro um caminho, estreito. Entre árvores. Passo por um bosque. Chego a um campo, verde e amarelo. Um campo de girassóis. Deito sobre a grama e penso no caminho.

Até onde quero chegar? O que quero conquistar com a minha vida?

Tudo o que vivi até agora, não é o caminho que quero seguir. Tudo o que vivi, tudo o que suportei, não é o que quero mais para a minha vida. Estou segura. Chega de stress, chega de metas diárias que me matam pouco a pouco.

Tudo para quê? Comprar mais o quê?

Nada do que comprei me trouxe a felicidade. Tudo o que perdi, me trouxe alívio. Como pode? Decido parar. Decido, seguir aqui, deitada neste campo de girassóis. Sinto a energia da terra percorrer por mi corpo. Entra por mis poros. Me sintoniza com a natureza. Por primeira vez, respiro sem dor, sem medo. Não conto o tempo. Deixo o tempo passar. Isto é o que tenho que fazer hoje. Me reconectar com a vida, com a terra, com a natureza. Não há nada mais importante que isso. Respiro, vivo, aqui e agora. Sei que estou respeitando meus limites. Sei que seguir seria loucura. Morreria. Não é hora de morrer.

O que faz sentido para a sua vida? Qual o propósito da sua vida?

Pra mim é viver com calma. Respirar. Fazer uma coisa por vez, até mesmo, uma por dia. Toda a pressa, não me levou a lugar algum. Os propósitos que tinha, não eram dignos, não fizeram de mim uma melhor pessoa. Não me completaram. Era puro consumo de horas, de vida e, em ultima instancia de dinheiro. Cansei de querer viver pelos outros e para os outros. Hoje, pouco me importa se as pessoas me entendem, me aceitam. Tenho claro que meus valores são éticos com a nova era, com a nova mente desperta que devemos ter, que o mundo nos pede. Não quero o Seu mal, mas quero o meu bem. Pouco me importa trabalhar com a morte, ela não me faz sofrer. O que me faz sofrer é a Sua expectativa, a Sua cobrança por superação. O que buscas é a Sua riqueza, isso não está de acordo com o que busco. Por isso abandono o Seu projeto.

Onde está o seu norte? Qual o seu projeto? Qual o seu ideal de vida?

Meu projeto é simples. É viver, plenamente. Sentir o sabor do café e da comida. Sentir o ar que respiro passando por cada parte do meu corpo. Ver a cor do dia, das flores, das folhas de outono. Perceber o frio do inverno entrando pela janela. Ter um amigo, um sorriso. Agradecer. Amar a vida. Dormir e acordar. Ver a mudança do meu filho, que cresce. Abraçar e amar. Ler, aprender. Escrever, ensinar. Reduzir as possessões. Aumentar as experiências. A.M.A.R. Confiar na vida. Confiar no universo. AMAR.

*post inspirado no vídeo abaixo.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s