Publicado em Relacionamentos

BEDA#16 – não julgue

não julgue 2

Quem é você? Você é fruto do meio em que viveu e vive, além das escolhas que fez e faz. Assim é o outro, seu vizinho, seu chefe, seu amigo, seu colega ou a pessoa que te atende em qualquer comércio. Se não combina com você, deixe ir. Não julgue, não critique. Nem todos temos que ser iguais e concordar com tudo.

Hoje percebo que as pessoas estão cada vez mais extremistas, como se houvesse apenas uma verdade, a sua própria. Porém te pergunto; O que é verdade, o que é mentira? Para mim, cada lado tem seu ponto de vista, variável conforme sua experiência de vida, o meio em que vive e seus objetivos e valores. Aprender a conviver com isso é uma dadiva para bem viver os tempos atuais, onde vemos discussões por motivos políticos, ideológicos, religiosos entre outros tantos. Uma divergência não deve ser ganhada no grito, na violência, mas sim na negociação, na argumentação. Muitas vezes uma divergência não é uma disputa, é apenas uma divergência, um ponto de vista diferente do seu.

Considerando um caso em que nosso ponto de vista deva ser debatido até que sejamos vitoriosos, como na política, na justiça, numa defesa de tese ou numa venda (que é a minha rotina diária). Acredito que neste momento, devemos estar atentos a outra pessoa, com uma escuta ativa, com o coração aberto para saber os limites de cada um. Fazer perguntas coerentes que levem a pessoa para o nosso terreno, de modo que possa pensar sobre nosso ponto de vista é um dos caminhos, porém, nada deve ser forçado. Eu digo que uma venda forçada é uma venda perdida. é uma venda sem glamour, sem conquista pessoal.

Eu acredito que temos que aprender a argumentar, a pensar. O modelo de ensino e educação que tive era restrito a argumentação, me fizeram acreditar que quem argumentava era revolucionário e desrespeitoso, o que era ruim. Passei parte da minha vida sem fazer perguntas, sem demonstrar meu ponto de vista, hoje ao contrário me exponho e busco conhecer e conquistar pessoas que me estimulem a isso, por isso trabalho com vendas. Em vendas, nos processos de negociação chamamos esse momento de perde-perde e ganha-ganha, onde os dois lados podem perder algo, para que os dois lados possam ganhar algo. Qualquer relação que seja baseada em perde-ganha, acredito que está destinada ao fracasso, talvez não perca no curto prazo, mas a medio e longo prazo a constância do perde-ganha se transforma numa perda exagerada para um, enquanto o outro tem um ganho desmedido. Equilíbrio é o que devemos buscar.

Equilíbrio é a palavra chave e no equilíbrio não há julgamento e as críticas são suaves e positivas.

 

Anúncios

Autor:

Uma pessoa em constante movimento e crescimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s